sábado, 8 de novembro de 2014

Nos achamos importantes, acreditamos em uma imortalidade... achamos até nos perdemos.

Nada me satisfaz... Não importa quantas vezes me masturbe, vou querer sexo e este outro corpo não me excita mais.

Saia, mas não vá embora agora, vamos conversar, não quero me sentir só.


Então deixe a porta aberta...

sábado, 29 de março de 2014


Te enxerguei refletido pela verdade, teus olhos não me mostraram muito além do vago. Nesse momento, sua pele na minha já não fez parte do contexto e me encolhi como se reagindo a uma ameaça. Você se tornou quem já era, o que mudou foi meu ângulo. Olhando para o longe, o indefinido me seduz mas algo precisa ser deixado, não me toque. Não houve culpa, não houve sentimentos, não houve... assim como não restou nada.

domingo, 9 de março de 2014

Veja bem

Essa alma que só vaga, que é vaga. Ao menos nela existe espaço para ser o que os olhos se negam a sentir, coragem de se enxergar. Preenchida pela vontade do indefinido, que nela haja espaço entre a realidade e o útil, que não se defina pelo medo de se criar.
Já me apontaram tantas vezes meus erros que a culpa passou a ser dos dedos. Não importa, com essas linhas do tempo que se formam no meu rosto, olhe de perto, vai ter noção do que falo.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Do incerto que é viver

Estou indo embora, na expectativa de me perder pois nos encontros que tive só me restaram as despedidas. Estou indo embora, levando de palavras um pouco das mentiras que me confortam e das verdades que me atormentam. Que para o futuro eu reserve o incerto.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Escutando as verdades do silêncio

O olhar se encontra fixo no distante e em contraste com a fumaça que saia de sua boca, esvaziando o peito que já não havia restado nada. Aquele era o último cigarro, última chance de se prender ao vago das lembranças que se tornavam cinzas. Em sua garganta ainda estavam engasgadas todas as mentiras, com mais um trago ela tosse já acostumada com o cigarro mas em dor com a decepção.
Aprender a lidar ou morrer tentando sobreviver.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

É isso ou apenas não é nada


Estou vazia, preenchida por medo, saudade e dor, me encontro perdida. Estou tentando parar pra respirar, mas não há mais folego.
O coração acelerado é por causa das lembranças que agora saem da minha cabeça, dando lugar pra razão, conseguindo (por ora) manter a sanidade intacta.
E se foi, junto daquele passado longínquo que insistia em voltar. Minha respiração era forte, os pensamentos incertos. Só me restava agora conviver com o fardo de arcar com as consequências do que faço pois não haverá mais onde pôr a culpa. E isso faz parte mim, seja lá quem "mim" for, quem sabe, apenas consigo mostrar ser... Me sinto perdida, e não me basta soluções para resolver.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

A minha dor torna a calma uma ironia.

Controvérsias


                      Ela chora sem procurar um motivo e, assim, deixar que a raiva estanque o que derrama. Já não se deixava enganar pela felicidade, sofria a cada sorriso por saber que não voltariam a existir. Não vive o hoje com a culpa do ontem e receio de amanhã, por esquecer do futuro e não planejar o passado. O que restava era o vestígio de um sorriso. Perdida se encontra e recuso a prosseguir. Fizeram dos meus erros consequências, das cicatrizes, consciência. Sou feita de certezas que aprendi a duvidar.

Desenho, Luiz Melo

sábado, 1 de setembro de 2012

Prefiro que não entendam

Que a realidade se torne tolerável e as palavras que flutuam numa mente insana façam mais sentido do que as que saem da minha boca. Ao menos assim, minha estupidez será considerada loucura.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Palavas rabiscadas


Senti o choque no contato da tua pele, vi tua voz nas músicas cantas em bares, procurei teu sorriso sarcástico em cada palavra que me fizeram acreditar.                Encontrei uma parte sua no meu bolso, do qual não tinha sentido evitar, pois não era apenas uma folha amaçada, mas uma memória incompreensível de palavras rabiscadas  e ler era como escutar o que não consigo ver.     Minha lógica não é exata, minha sanidade já foi descartada e só resta julgar a verdade enquanto argumento com mentiras, meras palavras de sentido duvidoso onde não me arrisco a repetir.               O verbo “querer” no pretérito imperfeito é o que me perturba em frases mal feitas de textos sem coerência.          Não preciso de alguém pra dizer o quanto errada sou e como deveria ser, acredite quando digo que talvez, quem sabe isso um dia faça qualquer sentido, ou vire uma parte da minha vida da qual meu cérebro irá se desfazer, assim como uma lágrima que percorre teu corpo sorrateiramente.                               Quero dizer a mentira da qual acredito mas não sei qual é, fazer do passado o meu futuro indiscutível.         Faça o favor de esperar o pior de mim e se contente com o que conseguir, SE conseguir, e talvez um dia te surpreenda com minhas palavras de sentido aplausível, porém, sem nenhum significado.

terça-feira, 20 de março de 2012

O primeiro ato .

Eu engoli meu vômito e joguei aos porcos a sanidade, fiz das tuas palavras espinhos que me ensinaram a não seguir pelo mesmo lugar.    Enxergue nesses olhos a realidade fria que já te trouxe, em momentos, um sorriso sincero. Se encara no espelho e diz o que vê, pois é isso o que te restou de um caráter inútil, sua solidão.
                E agora te dedico estas lágrimas, onde terminamos a primeira cena de todo esse engano.    

Simples .

Me dá o teu corpo, tua respiração ofegante em um abraço, o sorriso bobo de palavras significativas, teu beijo fazendo meu coração reagir de maneira nem tão sútil, mas sei que me segura com mais força pra sentir bater,... me dá o teu amor, cuidarei de você.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

São palavras.


              Queria apenas enxergar além do que vejo, ouvir menos daquilo que escuto. São palavras desatentas que agora saem, são apenas ruídos que colocam em evidencia a minha confusão. Hoje me resta decisões na realidade desnecessária que não faço questão de presenciar.
              Era pra ser fácil, pra simplesmente não me afetar... E me sinto uma mera criança onde a sensibilidade apenas serve pra chamar atenção, que os sorrisos são produtos de muito esforço e ações resumidas a palavras.
Não me pergunte qual é o problema,...

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Inconsciência .


                        E então olhei pra trás, encontrar algum detalhe que em sua insignificância não dei atenção, mas era nítido como fizera a diferença ali, aquele momento foi onde toda a realidade havia se desprendido da minha vida e agora só teria restos, eu tentei, tentei seguir alguma lógica que fizesse sentido, porém, não fazer nada teria me custado menos.
Isso não tem ligação com mais ninguém, sou eu, são as minhas contradições e minha falta de bom senso, basta. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

- Uma Carta...


Me sinto só... talvez mais do que o normal permita. Quero dizer tantas coisas ao 
mesmo tempo que falta palavras, e então prefiro ficar calada enquanto você traduz o 
implicito, quero gritar e ser contraditória.    
Eu penso em você a cada palavra fora do contexto, nos refrões alheios usados pra
trazer, mais uma vez, você pra perto, e quando a música acaba sobra o vazio...
Não pensa que te "abandonei" ou algo do tipo, é o pior que pode me fazer agora, não
quero arriscar qualquer passo em falso e por tudo a perder. Não esquece de toda gargalhada e palavras jogadas ao vento,...    mas quando se sentir só... quando ninguém conseguir te tirar do sério, faz da nossa conexão um meio de fugir...
não precisa das horas repetidas pra saber no que estou pensando. 
Ainda me questiono em tudo que nos trouxe até aqui, cada decisão, as mil e uma
escolhas que poderíamos ter feito, nos levando a caminhos totalmente opostos, mas a ironia do destinho nos trouxe aqui, era pra acontecer -sem photoshop... 
meu medo é ir te perdendo aos poucos, doloroso presenciar... não sabe o quanto sinto sua falta.
Olha, estou bem,posso me adaptar só não quero nem vou me acostumar a isso.




um pouco de palavras repetidas vindas de Humberto Gessinger


   "Teus labios são labirintos que atraem os meus instintos mais sacanas"
"Entre a minha boca e a tua há tanto tempo, há tantos planos, mas eu nunca sei para onde vamos"




e isso é só o começo.

sábado, 20 de agosto de 2011

Aquilo que não sei explicar .

                                Tenho procurado a lua na janela do meu quarto, que não aparece normalmente mas agora refletia a melancolia do momento.          Quase consigo te tocar quando certos momentos inundam a minha mente, tirando-me a consciência plena,dopando a realidade da qual julgo desnecessária e dispenso ao colocar em jogo minhas decisões e receios em palavras  mal organizadas.
"Every second is a highlightWhen we touch don't ever let me go" Não ando postando muito, lamento. Escrevi esse texto pra Ninguém, esse é o efeito que causa nas pessoas.



quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Obrigada

                        Sempre procuro achar a pergunta das respostas, as falhas nos acertos, lágrimas por tras de sorrisos... Quero enganar a mim mesma, a creditar que tudo vai dar certo, e essa é a pior das mentiras. Agora vejo que é mais racional não ter fé.       E vai embora, com a certeza que sentirei falta e esse é o único motivo da ida, mas você não será o único...  Cada vês me vejo mais presa ao abstrato dos meus sonhos.   Ganho meu troféu de drama, lá em cima vou agradecer a todos que me deixaram e aqueles que me perseguem. MUITO OBRIGADA.     

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Ainda sou eu? .

É incrível como sou tão estúpida ao ponto de todos conseguirem sem esforços adicionais me afetar, me faço perder tempo em meu quarto com o som topado ao máximo, de lágrimas desnecessárias e palavras gastas alheiamente. Agora mesmo não faço questão de definir apenas uma música, coloco todas ao mesmo tempo, e ainda converso comigo mesma...Quero que o mundo exploda,aliais, já devia ter explodido em 2000, mas ainda terei que esperar por dois anos.  Digo CHEGA para aqueles que me fazem de idiota, mas sei que me colocarei novamente no papel, basta a ultima lágrima escorregar. Mas quer saber? Vim pra dizer que já deu, esgotou. Ainda estou aqui por um fio...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

No silencio eu ouvia .


Era o silencio que me calava, aquele silencio ensurdecedor que me trazia átona toda loucura particular, as letras de músicas feitas no simples intuito de te irritar, te deixar revoltado ao ponto de me fazer querer escrever mais... e escreverei. É quando minhas palavras confusas em sua essência vão começar a fazer sentido pra você, só a você. Quando a história daquele livro fará nossa história... Você vai aprender a não acreditar em tudo e todos, isso não significa que sou confiável.  

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Porque muda? .



Tudo estava me consumindo aos poucos, tirando parte a parte do que restava das lágrimas secas no meu rosto. Pessoas de uma felicidade plena com sorrisos falsos, elas me davam vontade de correr ao encontro do meu destino óbvio, onde a escuridão era só mais uma das conseqüências ... Quem disse que me importo com elas?  Foi quando a realidade se tornou abstrata, e a água seca, o sol gelado. Assim, minhas palavras em cartas, algumas folhas rabiscadas e jogadas em meu quarto, nada me fazia sentido pelo simples fato de não ter sentido. Era algo difícil de explicar, e impossível não dizer,é o que sinto aqui e agora. E não,não dá pra me ajudar, dispenso sua caridade.

Ouvindo. KT Tunstall - Other Side of the Wolrd.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Don't Love You .




Não sei porque, mas te ver partir novamente já não me faz sofrer como antes, eu já não sinto a mesma dor, aliás, não sinto mais dor alguma. Você não é mais aquela pessoa que fazia falar besteira e rir com nenhum motivo, agora não passa de um estranho.  Tudo que me fazia lembrar você, eu fiz questão de apagar, acho que foi bem melhor assim.
Agora eu sei o que é melhor pra mim, e o melhor no momento é esquecer o passado e viver o presente.  É agora eu acho que finalmente consegui concluir o que o amor é pra mim atualmente, são 4 letras, com duas vogais e duas consoantes, nada mais que isso.  E eu finalmente to pronta pra dizer que, eu não te amo.

domingo, 18 de julho de 2010

Talvez.


Faço da minha vida uma música sem letra, onde os instrumentos tomam parte dos 3 minutos gastos, acompanho a letra em minha cabeça e canto as poucas palavras que sei, rindo comigo mesma, lembrando quando a luz alaranjada que atravessa meu quarto fazia dali a cena perfeita pra mais um sorriso estampado em seu rosto, mas sozinha sento-me na cama e espero pelo próximo refrão, com um litro de conhaque e alguns biscoitos...

O Simples confuso .

Escutava música enquanto em meu quarto olhava a chuva cair, meus textos que simplesmente resolveram ter suas palavras confundíveis, sem o menor dos sentidos. Eu olhava as fotos que estavam em meu quadro, ao menos deveriam estar lá... As frases jogadas no lixo, as lagrimas que não ajudavam , molhando as folhas rabiscadas... Alguém bate a porta, delicado e sereno, me levanto chutando os papéis que estavam ali jogados.
- Oi.- abri parte da porta, meus olhos não chegaram a vê quem era.
-Posso entrar? – aquela voz idiota que eu tanto queria escutar, o abracei e chorando não queria mais soltar – Desculpa, eu não posso. – e me soltou de seus braços.
-Eu entendo, eu sei agora, você... você, argh. – Uni as sobrancelhas sem saber ao certo o que iria dizer, agora confundindo ainda mais o que já não fazia sentido...
-Eu não posso. Queria te explicar isso, queria dizer logo, eu te amo, ao menos te amei – seus olhos percorreram o meu rosto, procurando alguma coisa que explicasse, ou denunciasse o que se passava comigo. Ele me amou, o passado da palavra, ele fez questão de acentuar .
- Tudo Bem. Era só isso ? – Meus braços recolhidos agora estavam segurando a porta, meus olhos embaçados por lagrimas fizeram com que ele se aproximasse, e desse um beijo em meu rosto – Adeus – O simples Tchau não seria adequado .

terça-feira, 8 de junho de 2010

Melhor Mentir.

                 
            Quero mais uma vez dizer que a história não tem fim e só essa vez acreditar em minhas próprias palavras, agora que a verdade tinha um simples toque vulgar, a ousadia plena, conseguiria eu resistir a mentira tão saborosa, a vontade condenada de te dizer só mais uma vez que te amo e minha alma masoquista se contorcer. A tal garota fria, aquela que o sentimento não passa de uma palavra longa, que tais garotas insistem existir, sãs estúpidas. São elas que se torturam, pois a mentira contada só não basta, resta ao menos que elas mesmas acreditem. 

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Importa?

E daí se nunca ouvi um elogio seu? E daí se você não demonstra o que sente tanto quanto eu? e dai se a dúvida do seu amor é o que preenche? e daí se te ver todos os dias se tornou minha prioridade? E daí se tem gente que não quer nos ver juntos? E daí se você está distante de mim? E daí se eu necessito contar os dias pra te ver de novo? E daí se o tempo passa tão rápido quando estamos juntos? E daí se meus textos tomam você como o assunto? Nada disso importa pois, até quando não estamos juntos, você tem me feito tão feliz.
-
Eu estou escrevendo alguns textos, ainda não estão publicáveis. Encontrei esse no Twitter de @m_maarcos Link:http://maarcosd.tumblr.com/post/672986044/e-dai - Já que estou postando hoje, daqui a dois dias, posto outro feito por mim (: Beijos.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Estava escrito .

Parecia que tudo naquele momento parou
Que as gotas que nos molhavam incessantemente
Simplesmente queriam um espaço em nosso corpo
Em nossa lembrança

Em seus olhos procurei uma palavra não dita
Uma palavra talvez não entendida
Como em um romance mal escrito, onde o final feliz acabara antes de começar
Onde as palavras não fizessem sentido
A cada pagina o mal era estendido
-
Nada mais faz sentido. Uma vez que eu tento escrever me escapa as palavras... está tudo MUITO confuso comigo, e talvez isso é o que mais demonstra nos meus textos , por isso que não postei... já faz 2 semanas que não posto . Fiz esse poema, com rimas mal feitas e sentimento complicado, mas espero que tenham gostado. Quem acha que meus textos estão sempre a mesma coisa, bom, só resta pedir desculpas e dizer que tentarei melhorar... mas não faço disso uma promessa .-.

Beijos Gente. E, minha inspiração irá voltar (yn) Seja pro lado triste de minhas experiências , seja pro lado alegre delas (:


quinta-feira, 29 de abril de 2010

Era aquilo que machucava .


E por fim, enquanto chorava, soube que tudo não passou de um jogo, um jogo onde não há uma segunda chance, só mais uma persa em um tabuleiro usado para driblar os problemas... Descobri que aquelas palavras já eram esperadas desde o momento que me disse Eu te Amo, desde nosso primeiro beijo sabia que sentiria sua falta, então era isso, a chuva que caia lá fora era simplesmente para me arrancar suspiros e acompanhar-me em um profundo desabamento. E em minha aula de matemática raciocinei e somei burrice mais imaturidade, elevado a esquecimento e subtraído por amor, o resultado foi claro, = eu necessito de você.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Só mais Uma Vez .

                        Era só uma vez, quando meus olhos encontraram os seus, quando minha boca sentiu sua sede... Só mais uma vez, quando queria te encontrar e abraçar-te com mais força, quando eu queria que nada nos separasse naquele momento, quando a chuva era só mais uma parte da cena. Olhei em seus olhos, e vi meu futuro lá, meu futuro gravado, minha felicidade marcada... Em seu abraço senti seu coração bater mais forte, acompanhando o ritmo do meu. E agora meu coração é seu, como tudo o mais evidente aparece.

sábado, 17 de abril de 2010

Talvez uma Virgula .

Capitulo 4

                      Estávamos sentados, olhávamos um para o outro, e o silencio tinha o maior dos significados. Sua mão que sempre ficara gelada hoje estava esquentando as minhas, seu sorriso me trazia toda a felicidade que tanto busquei encontrar em meus sonhos, e hoje era a mais pura realidade, a realidade... aquela que mais parece ser meu perfeito sonho, e hoje luto para não acordar, para continuar nesse momento. Olho novamente em seus olhos, procurando alguma duvida, alguma coisa me alertando do alarme que iria tocar a qualquer momento, e então seria a hora de ir pro colégio. Antes que pudesse tocar em seu rosto senti a chuva, as primeiras gotas, e seu sorriso novamente se estendeu, em seu abraço me envolvi disfarçadamente, queria sentir seu calor, eu necessitava. E lá sentados no chão, você me abraçou como se meus pensamentos estivessem em sua cabeça, fechei meus olhos e senti sua respiração forte e ritmada, deixei que isso me acalmasse e assim resolvi que nossos capítulos não teriam fim, que teríamos uma biblioteca com a nossa história. Assim, ponho um ponto final nessa curta passagem, mas ainda será a inspiração de meus textos ;*

domingo, 11 de abril de 2010

As Palavras .

                  Ela estava chorando, o que denunciou foi seus olhos vermelhos olhando para mim, pois as lagrimas poderiam muito bem se disfarçar de chuva, a chuva que agora caia no espaço entre agente. Ela correu e me abraçou, em seu abraço agora sabia que o final que estava próximo agora chegou, e que o Adeus seria inevitável. E numa caixinha de veludo, ela me entrega o seu anel, um anel que lhe dera em seu aniversário. Em um breve olhar , nossas testas de juntaram, e senti a chuva cair mais forte nesse momento, foi quando meu coração estava sendo quebrado de uma vez, a chuva aumentou e ela foi embora sem olhar para traz, deixando um vazio de palavras...

- Poutz, passei 1 semana sem postar :s, poow, foi mal, estava esperando um novo capitulo para o 'Meu completo Vicio'   mas não me veio nada na cabeça, ainda mais por ser uma história veridica ...   Espero que me desculpem (:   - e fica essa história que acabei de fazer .   ;*

terça-feira, 30 de março de 2010

A realidade Perfeita .


Capitulo 3

A realidade simplesmente não é perfeita, mesmo olhando em seus olhos e vendo tudo o que quero, mesmo assim não consigo completar minhas palavras, elas ficam no ar. Eu complico o que já é complicado e vejo o que já não se enxerga, eu estou aqui, com você, ao seu lado e quero estar mais próxima, meu amor se torna uma coisa incondicional, e quando olho pro telefone me vem uma memória vaga do que ainda não vivemos. Minha soma acaba dando em zero, meu amor acaba sendo multiplicado por mil, e minha cabeça sendo confundida a cada conversa, talvez quisesse somente saber o que você pensa de tudo isso, quando nem eu mesma tenho idéia do que se passa, do qual é o meu problema. Estamos contra tudo e todos, contra a realidade.  E assim se torna a inspiração de minhas letras, pois em cada palavra existe você vagando ...

quinta-feira, 25 de março de 2010

Juro .

Acabei fazendo disso uma história com Capitulos, se tudo correr bem farei o capitulo 3 e assim até a história terminar  - Ou não   .   Capitulo 1   O meu Vicioo

 Capitulo 2 



                 Éramos dois na multidão, sentados um ao lado do outro, esperando uma palavra. O filme não me importava muito, acho que sua mão que chamou atenção, quando você me pediu que as esquentassem e eu as coloquei entre as minhas. Não queria que aquele momento acabace antes de ter seu desfecho concreto, ou ao menos um capitulo concluído, e por não saber o que fazer , pedi ao meu coração que se acalmasse ao o que estava prestes. Em seu rosto virado foi parar a minha mão, e o trouxe para bem perto do meu, meus olhos estavam fechados e o beijei. Queria mais, mais, mais. E o filme ficou em segundo plano quando consegui arrancar-lhe meus beijos, você sempre foi minha cocaína particular que nunca pude provar e agora estava comigo, e minha necessidade ficara totalmente evidente. Eu ria com a situação. Éramos de simples conhecidos a um completo... E com a permissão de usar suas palavras, digo que nada esperei daquele momento, eram só vultos, impossível assim reproduzir como um filme usando apenas uma imagem .

domingo, 21 de março de 2010

O meu Vicio ...

                  Parece que simplesmente tudo parou, e agora, mesmo nunca tendo o visto sinto sua falta. Você simplesmente chegou e minha vida ficou embaralhada de certa maneira que tenho que verificar minha sanidade. É uma cocaína que vicia somente ao falar nela...

                 Esquecer-te? Já não tenho mais essa escolha, já dependo de você, e se nada puder, terei que ir a reabilitação e assim sofrer com a perda, e me recuperar aos poucos... Mas se você decidir que me quer, então me abrace e iremos conviver com o vicio...

quinta-feira, 18 de março de 2010

Um amoor?

Eu estava em seus braços, deitados na grama olhando as nuvens fazerem formas. Eu lhe contava minhas histórias loucas, e você ria comigo, mesmo quando não havia lá muita graça... Éramos amigos, mas eu sabia que tinha algo mais, sempre teve, sempre teve um abraço mais apertado, uma necessidade de ficar mais perto, um olhar um pouco mais discreto, mas disfarçávamos muito bem. O celular tocava a nossa musica predileta ‘ Tik-Tok ’ Como a qual sempre nos juntávamos e cantávamos, ouvíamos sempre com coreografias e brincadeiras, pulávamos feito completos loucos na frente de varias famílias que olhavam com censura, acho que vi pessoas taparem os olhos de seus filhos, isso nos divertia, quando eu tropecei e cai novamente sobre a grama e fiquei lá deitada, ele se ajoelhou ao meu lado, ofegante, colocando a mão em meu cabelo e me beijando, ficamos lá, por minutos ...

sábado, 13 de março de 2010

Acho que te ver feliz me faz triste ...


Te ver sem mim, e feliz, te ver brincando, conversando e sem nenhuma saudade... Me sinto no papel da estupida que sofre enquanto o outro ri, me sinto simplesmente uma idiota ao pensar que derramei lagrimas para que pudesse te ter, mas com lagrimas não se resolve, e acabei te perdendo. Acho que é aí que uma das mascaras aparecem e cobrem o meu rosto, enchendo de risos forçados e piadas sem graça, aí que descubro, tudo foi uma farsa da mais disfarçada... Acho que foi aí que meus textos perderam a felicidade, pois como poderei expressar algo que só está em meu rosto? Acho que a felicidade ficou completa com você e agora se foi totalmente...

-Esse texto é muito pessoal, fiz quando estava me lembrando de momentos...  Me sinto mergulhada em uma agua gosmenta e escura, simplismente não vejo nada e e nada faço pra escapar...  
Beijooos **;

terça-feira, 9 de março de 2010

Certo Tedio .

Eu estava em meu quarto, observava a chuva como quem não vê nada e escutava uma música da qual a letra não me identificava, mas do que importa se a letra era a ultima coisa que iria me preocupar? No meu computador, varias pessoas online,  parte delas falavam, e nada fazia além de observar... Quando acordo de um sono repentino, olho para fora e escuto o que teria me acordado, alguém cantava a música da minha história, mas estava cansada, e voltei a dormir...


Dedicadoo a TiagoFlexa  *-*

sexta-feira, 5 de março de 2010

Meu Doce Vampiro .


Não sabia o que procurava, mas mesmo assim continuei. A lua não podia ficar mais bela do que naquela noite, era digna de filme... A rua estava escura, deserta, mas nada me faria voltar... Em meio a luz do luar, vi o que finalmente eu estava procurando, ele era belo, fazia contraste com a lua perfeitamente desenhada para aquele desconhecido. Me vi admirada, esperando que ele chegasse até mim, naquele momento percebi que não sobreviveria sem ele, como uma droga que acabo de provar, sentir-me enfeitiçada. Ele veio em minha direção, e nos seus braços eu estava em poucos segundos, ele me beijou, um beijo suave e caloroso, em seguida meu pescoço foi o alvo, me mostrou aqueles dentes brilhantes, e num suspiro ele mordeu meu pescoço, o meu doce vampiro...

terça-feira, 2 de março de 2010

Disfarça .


Eu... Eu sabia que não te amava, sabia que nada em você um dia me atraio, mas a sede que sentia por não te ter por perto era torturante, me fazendo várias vezes te beijar quando não queria, concordar quando não aceitava. Ao contrário de você, todos já tinham percebido o quanto eu era idiota, o quanto eu não prestava nem servia, assim, não queria arriscar te perder... E com isso provara que eles estavam certos, uma idiota egoísta, que nada mais importa além de si. E eu chorava com a constatação, que eu não negaria por saber que é verdade, mas a história da garota que seu coração fora estraçalhado tantas vezes que agora, não queria arriscar, sugando forças do coração de outros, até não sobrar nada mais, e quebra-lo por vingança...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Chau .


                              Como toda história de final feliz, o mocinho se casa com a garota indefesa.  Naquele momento era eu a mocinha indefesa, me preparando para entrar com aquele vestido branco e calda longa, assim como o escripti seguia.  No momento eu queria gritar e ouvir meu grito ecoar sobre aquela igreja toda arrumadinha, que minha mãe fizera questão de escolher e decorar.  Minhas mãos soavam de tal maneira que as flores do buquê não iriam murchar nem tão cedo, minhas pernas tremiam assim como as mãos de tia Matilde, eu não estava preparada para enfrentar toda aquela multidão, e ainda planejei vários modos de escapar dali, de uma maneira que ninguém conseguisse me segurar.        Já não tinha mais tempo para isso, meu destino estava traçado em alguns passos dali.  Desço do carro, ouço a musica tocar, aquela musica, sigo em frente, tentando disfarçar o quanto eu estava nervosa, chegando à penúltima escada alguma coisa me faz olhar para traz, um flash de imagens vem a minha mente, balanço a cabeça como se estivesse negando algo, e sigo para o tapete vermelho fosco.  Quando ponho o pé naquela igreja, vejo o homem que passaria a vida comigo, aquele que teria de agüentar meus estados de mau humor, teria que saber lidar comigo.  Entro e começo a caminhar, na verdade eu estava quase correndo e os músicos tentavam acompanhar meu ritmo. Quando cheguei no lugar, ele olhou para mim e sorriu, o padre começa a falar tudo o que era normal, mas, ele falou coisas das quais nunca ouvira em nenhum casamento de TV ‘se estás feliz com este homem, se sentisse à-vontade em conviver com esta mulher, ai sim estarás preparado para casar’, aquilo foi como uma faca entrando de vagar em minha barriga enquanto a rodavam, eu não estava preparada para aquilo, minha vida não podia ser destinada aquele homem...  Foi quando uma palavra soou de minha boca sem ser comandada ‘NÃOO’. O que eu acabei de fazer? Sai correndo, ele ainda segurou-me na mão, e com os olhos cheios de lagrimas eu o disse adeus.


Genteen, esse blog foi indicado a um  um Selinhoo  *--------------*    Fooi por Ca.  no Blog  I Love You [Valee uma visita (:]


O outro selinhoo foi para outro blog que eu tenho com D'laRochaa  [Ponto e Virgula ;], dessa vez foi indicado por TaTi.  ^^ 


Foram meus primeiros selinhos, e não sei muito bem como funciona e paah =P                 - Beijoos ;**   E obrigadaasso  ^^)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Mas ele vai Voltaar .



Era o meio do verão, mas chovia até mais do que no inverno. Eu olhava pela janela, e dentro de toda aquela neblina sabia que você estava lá, me esperando, esperando que eu descesse e o encontrasse, esperando que eu pegasse um enorme resfriado só para vê seu rosto que tanto aparece em meus pensamentos.  Nossa, é estranho pensar que eu um dia sentiria algo tão... Confuso, finalmente aquelas músicas melosas de amor faziam algum sentindo, o sentido que ainda estou tentando desvendar, desvendando a cada dia...   Aquela neblina já avia acabado, agora estava fitando o nada, onde você deveria estar.  Não tinha um espelho no momento, mas pude vê minha expressão se tornar a própria neblina.   Enquanto continuava a olhar pro nada, algo me tocou que me fez arrepiar, me beijou, o beijo mais... Quer dizer, o beijo. Esse momento irá fica em minha memória, nada que possa dizer ira expressar tudo o que senti, ou o que aconteceu a seguir...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Cala Boca e Me beija .

Para mais entendimento leia: O que fasso? . , Acabou? .  e   O que ? .

Capitulo 4      Final
  ‘acho que não posso dizer muita coisa, pelo menos com palavras não – ele olhava para a agua – muito tempo esperei te falar isso, mas... acho que coragem seria meu ponto fraco – agora ele sussurrava olhando para mim, procurando alguma expreção – eu acho que te amo.’ Olhei o chão.   O quê? Ele acha que me ama, enquanto tenho certesa do que sinto por ele, nessa hora meu coração parecia um tambor, sendo tocado por qualquer maluco que encontrou na rua, seu coração era basicamente parecido com o meu, mas seu toque era mais ritimado.  Esses pensamentos foram interrompidos, ele me beijou, me beijou fervorosamente, a fonte que estava desligada, se ligou como se automaticamente, concertesa teria que explicar a roupa molhada para a minha mãe, mas agora esse era MEU momento, e nenhuma bronca de mãe iria acabar com aquilo ali. Seu beijo era doce, tão doce quanto eu imaginava, sua mão estava em meu rosto, garantindo que eu não saisse correndo [como se eu fosse capaz de fazer isso], era a cena perfeita, o lugar perfeito, o Amor perfeito...
O.B.S: Sinceramente, espero que tenham gostado,...

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Não Sabia que Doia tanto ...


                    Já era noite, e caminhavamos pela rua sem planos para voltar 
                   -[...] Desculpa – logo corei- fasso muitas perguntas quando estou nervosa- fiquei atenta aos meus pés.
                   -Então agora sou eu que fasso as perguntas – Ele deu um imenço sorriso, compreendendo o que eu avia dito. – Um medo.
                    -Que essa noite acabe – eu era baixinha, mas mesmo assim podia encontrar seus olhos. Ele sorriu.
                    -Uma vontade.
                    -Tirar esse vestido que está me matando.- dei uma risada timida que ele acompanhou.
                    -Um desejo.- agora ele estava em minha frente, me encarando.
                    -Te ter. – essa foi a resposta que ele queria, foi sim. Me segurou pela sintura e me beijou, segurei em seu pescoço, e então, estavamos nos beijando a luz do poste.  A ultima ferida estava sendo cuidadosamente cuidada, e todo aquele medo que sinto [ou sentia] acabou, ou estava o envrentando.
                Nos olhamos por segundos, e ele me abraçou. Senti sua respiração, e seu corpo.
                -Nunca, nunca te magoarei. Te prometo o meu coração. - ele sussurrava em meu ouvido. Não concegui segurar, e lagrimas rolaram sobre meu rosto. – Não irei mais vê essas lagrimas, e cuidarei de você, minha bela estrela.
                -Eu choro por te ter comigo, por ter teu amor assim como sempre sonhei, mas a grande diferença é que estou acordada. – e como em um flash, lembro que aquilo tudo poderia ser um sonho, em desespero, o abraço *tento , tudo se transforma em vulto.  Me deparo abraçada com meu lençol, que agora estava enxarcado com minhas lagrimas.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O que? .




Capitulo 3

Para mais entendimento leia: O que fasso? . e Acabou? .

Eu estava escutando musica, e ele apareceu como se tivesse o chamado [será que chamei?], automaticamente estava de cabeça levantada, esperando que dissesse algo, quando percebi que ele tinha falado alguma coisa, mas não escutei por conta do fone, perdir-lhe que repetisse  , e suas palavras não podiam ter soado mais complexas ‘falar-coisa éé posso’, suas sobrancelhas se uniram como se estivesse perguntando o que acabara de dizer, dei um sorriso, aquilo me lembrara uma certa garota cujo nervosismo ficava na cara e na voz, traduzi o que ele queria ter falado  ‘ você quer falar comigo?’, minha voz soou calma, mas estava nervosa, o que ele poderia querer?  Sentou-se comigo, na beira da fonte, estava brincando com a água, como se quisesse adiar esta conversar, fale logo!, queria ter lhe dito isso, mas minha boca estava tremula, sabia que se dissece algo, demonstraria meu estado de panico, fiquei calada. Depois de um longo minuto, sua voz ficou estavel, e me falou as seguintes palavras...
O.B.S:  As palavras dele vão estar no proximo capitulo     ;**

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Meu Adeus .


É engraçado pensar que aquela de vestido branco deveria ser eu, entrando na igreja até o seu futuro duvidoso. Era fácil ver sua expressão nervosa, vê aquele buquê perdendo pétala por pétala a cada vez que sua mão tremia, cheguei a dar risos silenciosos enquanto assistia, eu a via dando sorrisos discretos a cada passo, a vi olhar para ele como nem eu nunca olhei, mas a piada ainda não tinha acabado, tinha muito para se presenciar, até que ele tocou sua mão, nessa hora um arrepio, vi que ela estava irradiante, mais feliz que nunca, agora meu riso se transformou em raiva, não iria esperar até que aquele circo fosse desmontado. Pensei em gritar, dizer que esse casamento não poderia acontecer,  feito aqueles filmes onde o padre pergunta se algo pode não realizar o casamento ‘fale agora, ou cale-se para sempre’. Mas percebi que a felicidade no rosto dele era incomparável a tudo e qualquer coisa que eu já tenha visto, isso me calou completamente...  Fui para frente da igreja, aquela cena já não me fazia bem. Já no táxi pude vê o beijo que selou aquele compromisso, que, quem sabe, seria para sempre...

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Reconhece? .



Eu estava tomando a minha decisão... , nada iria mudá-la.  Tinha que sair desta emboscada, antes que me visse envolvida nela, sem saída...
Decidi fugir, feito uma covarde que foge do seu destino.  Fui parar em uma de minhas historias, que passara a noite escrevendo,  e agora, por pura ironia, estou dentro de uma delas,  e mesmo sabendo que o final não será feliz, decidi ficar, continuar na ilusão até que ela acabe e leve metade de mim.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Acabou? .



Capitulo 2
Se passaram dias, e comentarios surgiram de que ele estaria na cola de Clarie, mas aquela altura nada daquilo me importava, eu estava desistindo do meu coração, sabia que ele pertenceria a alguém, e ninguém melhor do que a patetica Clarie, com aquele aparelho nojento, que ela tando fazia questão de mostrar.  Os textos que escrevi, todos aqueles que estavam quardados para um dia mostrar a ele , tudo foi parar no lixo, onde deveriam estar faz tempo... chorei ao fazer aquilo, pois uma história estava sendo rasgada, e literalmente sendo jogada no lixo, mas não iria sofrer assim como os livros dizem, foi passageiro, acabou, era tão dificil aquelas retardadas dos livros entenderem?  Com um suspiro fui pra minha cama, tanta merda tinha estragado meu dia.
OBS: Aiinda Não acabou! =))
OBS: Demorei tanto para postar de novo que descidi colocar logo o 2º capitulo  ;**

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O que Faço?

-->
Capitulo 1
-->
Eu o olhava discretamente, quem quer que seja aquele garoto, me chamava muita atenção.  Quis ir lá, falar com ele, e varias vezes treinei o que dizer, não queria parecer uma idiota que não tinha nada mais o que fazer além de dar em cima de garotos... aquilo estava me deixando maluca, eu sabia que não era nada daquilo mas queria do mesmo jeito causar boa impressão, varias vezes disse um Oi enquanto passávamos pelo corredor, mas o que falar além daquilo? Um garoto que eu mal conhecia, que mal fez parte de minha vida, e já estava revirando tudo, me deixando atordoada.  Eu ficava olhando enquanto as garotaspopulares  mostravam aqueles peitos, que nada mais era do que enchimento, fala serio, ali tinha mais papel do que no meu banheiro, mas mesmo assim sentia inveja delas, não se importavam em chegar perto daquele garoto, na verdade perto até de mais...  Fui varias vezes para a biblioteca para consegui distancia daquelas cenas, mas ele estava lá, Droga!Drogaminha dependência se tornava evidente, parecia até que eu ouvia seus amigos comentarem, falarem da garota ridícula que tem uma paixonite idiota por aqueles olhos castanhos...  Em casa, meu refugio era a vitrola que meu avô me dera depois de muito eu insistir, aqueles sons antigos, os discos de vinil, tudo aquilo me fascinava...

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Loucura .



Mais uma vez, vi seus olhos perderem a luz...   Porque minha mente forçava aquela imagem? Me fazendo sofrer devesas vezes, chorar pela perda.  Minhas lagrimas não se continham parecendoão se continham parecia acido que destruía meu rosto por onde passara, doíam ainda mais, sussurrava a culpa que sentia por não ter feito nada, por ficar paralisada, imóvel. Ainda escutava sua voz, sonhava com seu rosto, me perguntei até quando isso iria durar, até onde eu iria suportar.  A essa altura, sentia meus pulsos pedirem por um corte,minha garganta pedir por veneno, meu coração pedindo por um freio...  Senti a agonia no meu rosto, a me dar conta que minha vida acabara apartir dali, nunca será a mesma, vagando como uma zumbi cansada de celebro...


P.S: Texto nada a vê, eu sei, só que eu estava meia irritada com umas coisas e acabou saindo isso  :P  
P.S²: Acabei de editar o Layout do Blog, num mudou muita coisa, até as cores são iguais ao outro mas, mudar nunca é de mais.
P.S³: Carool! Eu tendo escrever coisas alegres e pah, mas sempre sai um coisa triste xD




quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Mais um Final .



O fogo começou a tomar conta das fotos, a fumaça já era presença marcada em meu quarto. Vi tudo virar cinzas, era obvio que nossa história não passou de uma folha amassada, mais uma folha...  Eu era feliz não nego, até quando perfurastes meu coração, aquele que era seu também, vi meu sangue jorrar, minhas lagrimas caírem, nada além de você existia no meu futuro, agora estava vazio, oco.  Desejei nunca mais te vê, sentir teu toque, desejei pensar na minha felicidade e percebi que ela se foi com você.  Olhei, olhei em volta, senti tua respiração mesmo sem está lá, senti teu toque sem poder retribuir, minha mente agora estava me deixando louca, minhas palavras agora não faziam sentido...  O que pensar? Olhar? Perceber?  Vi que minhas palavras se tornarem só o eco, só mais uma voz em desespero.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O ultimo Beijo .





Eu o olhava discaradamente, estava prestes a fazer algo que iria afetar as duas partes, machucar uma das duas partes.    Não me sentia muito nervosa, nem culpada por machucá-lo, o amor que tanto sentira no inicio é muito comparado a agora. Talvez seja meu coração, que a cada batida vai esfriando, ou meu celebro que assimilou a idiotice que estava fazendo ao namorar com ele.            Preparava-me para começar a falar, só precisava chegar perto, e confesso que não foi nada fácil, vê aquele rosto ingênuo, o rosto de toda pessoa que me ama ou amou, não sabem quem parasita em minha mente, quem domina meu corpo.  ‘Eu te amo’ ele agora estava sussurrado em meu ouvido, meu rosto era frio quando me olhou, e vi seu desapontamento depois de declarar algo que eu estava cansada de ouvir.  Fui rápida, não rodiei nem hesitei,  ‘Acabou!’ disse antes que ele pudesse falar algo mais, o beijei com mais fervor do que qualquer outra vez, e fui embora, deixando mais um coração partido, mais uma alma confusa.





A foto tá meia nada a vê com o texto, mas eu tava com preguissa de procurar outra xD


quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Minha Identidade .



Minha mascara caiu, mas como? Como você pode ter descoberto uma coisa que estava guardada em chaves, nunca foi revelada nem a mim mesma. Mas você sabia de uma maneira estranha e curiosa, me contou tudo, tudo o que sabia e o que eu não sabia.  Minha mascara caiu, meu disfarce foi rastreado, eu estava sem defesa alguma. Tentei negar, falar que tudo era loucura, mas nunca fui de mentir muito bem, dava para vê nos meus olhos a falsidade de minhas palavras. Desisti de me camuflar, não adiantava mais. Então me disse, depois de um longo abraço,  que nada iria acontecer, que você iria me proteger, tenho que admitir que mentiu muito bem, acreditei nas suas palavras, era a única coisa que eu podia me apegar, a única promessa que ainda fazia sentido acreditar. Seus olhos castanhos agora fazia parte de meus sonhos, aparecia sempre antes de dormir,  o homem que descobriu minha verdadeira identidade...